Família

23/04/2019 08h00

Previna-se

A importância de se preparar financeiramente para a aposentadoria

Por Nosso Bem Estar

pixabay
Previdencia (1)

A importância de se preparar financeiramente para a aposentadoria

Um dos objetivos da terceira idade é viver dias de lazer, descanso e tranquilidade, certo? É importante ter em mente que, independentemente da aposentadoria, fazer um planejamento financeiro vai resultar em uma vida mais confortável na velhice.

A recomendação é válida, inclusive, para aqueles que estão longe da melhor idade. Começando antes, com um tempo maior para organizar as finanças, os recursos poupados mensalmente podem ser menores.

A expectativa de vida no Brasil

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), hoje em dia, a expectativa de vida do brasileiro ao nascer é de 76 anos - o que corresponde a quase dez anos a mais do que era registrado no início da década de 90.

O aumento na expectativa de vida, sem dúvida, é positivo, mas gera preocupações sobre como equilibrar as finanças do país em relação aos custos com a aposentadoria dos trabalhadores. Além disso, é preciso fazer uma reflexão sobre o que cada pessoa pode fazer para garantir mais qualidade de vida na velhice.

As necessidades na terceira idade

Além dos custos com saúde, é preciso considerar despesas com moradia, alimentação, cuidados pessoais, etc. Outro ponto importante, que muitas vezes é deixado de lado, são os recursos para bem-estar e lazer. As atividades para socialização, como cursos, atividades físicas, passeios e viagens, são relevantes para a qualidade de vida nessa fase da vida, contribuindo com o aspecto mental.

Diante disso, muitos idosos que não recebem o teto da aposentadoria, ou que ainda têm outras despesas, encontram dificuldades para equilibrar as contas e ter uma vida tranquila e sem dívidas.

Os benefícios da previdência privada

As incertezas em relação à previdência social são diversas, e uma das formas de se preparar para isso é guardar dinheiro para o futuro. Hoje em dia, as instituições financeiras oferecem inúmeras estratégias para quem deseja poupar ou investir a longo prazo. Contudo, é essencial avaliar as opções e verificar qual delas é a mais adequada ao seu perfil, idade, renda mensal, entre outros aspectos.

Se você está preocupado com o seu futuro financeiro e da sua família, uma das alternativas para poupar recursos é a previdência privada.  Essa estratégia funciona como uma aposentadoria, mas não está atrelada ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Sendo assim, o objetivo da previdência privada pode ser complementar a previdência social, no caso das pessoas que trabalham em regime CLT ou no funcionalismo público, ou, ainda, substituí-la, o que se aplicaria, por exemplo, a empreendedores e profissionais autônomos.

O objetivo da previdência privada é acumular capital para resgatá-lo no futuro e complementar a renda na terceira idade. Geralmente, ela é mais recomendada para investimentos de longo prazo, já que a incidência de tributos é reduzida nesse caso. O saque pode ser realizado em qualquer momento após o período da carência, seguindo as regras do contrato.

As principais modalidades de previdência privada encontradas no mercado são: Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL). Essas siglas podem confundir um pouco e os produtos também se assemelham quanto à cobertura, forma de pagamento no futuro, entre outras questões. No entanto, é fundamental entender as diferenças entre os dois modelos para identificar qual o mais adequado ao seu perfil. Outro ponto importante é ficar atento no momento de escolher a forma de tributação, que pode ser progressiva ou regressiva.

A previdência privada é uma das soluções para complementar a renda da aposentadoria e ter uma vida financeira mais tranquila no futuro, sendo uma alternativa para quem precisa de disciplina para poupar dinheiro. Contudo, antes de escolher essa modalidade, pesquise em mais de uma instituição para analisar a taxa de administração cobrada e todos os detalhes do serviço.

Como planejar uma aposentadoria financeiramente tranquila?

Para quem não quer ficar dependente da previdência social e deseja ter uma aposentadoria tranquila, a recomendação é fazer um planejamento financeiro para isso.

Um dos primeiros passos é definir o objetivo. Analise o seu custo de vida para fazer uma projeção de qual o montante deve ser acumulado ao longo dos anos, somando o valor da previdência social e a renda complementar. Além disso, faça essa estimativa considerando uma expectativa maior de vida, entre 85 a 90 anos.  

Após definir essa meta, estipule um período para alcançá-la e veja o quanto será necessário poupar por mês para isso. Quanto antes você iniciar esse processo melhor!

Analise as formas de poupar dinheiro e veja qual a melhor solução para o seu caso. Como vimos, a previdência privada é uma boa opção, mas há diferenças entre as modalidades e as ofertas das instituições financeiras, sendo assim, é recomendado pesquisar bem.

A previdência privada, ou outros tipos de investimentos (como no ramo imobiliário), podem representar uma aposentadoria mais confortável no futuro. Por isso, procure manter o foco em seu objetivo para não utilizar o dinheiro da aposentadoria para outros fins, além de manter a disciplina para seguir o planejamento e fazer os aportes mensais.

Gostou das dicas? Ficou com alguma dúvida? Escreva pra gente. Até a próxima!

X